Dulce Pontes: O primeiro canto

Dulce

Fui apresentado à Dulce Pontes por acaso. Não, por acaso não. Por força, sem minha vontade de conhecer o que o meu colega de trabalho impunha a todos nós dia após dia com o seu gosto por coletâneas de novelas brasileiras. Tenho lá muitas restrições a coletâneas, que mais parecem voltadas ao comércio de disco e não a uma pequena mostra do que há de melhor em música, seja de vários autores, de um cantor ou cantora, enfim, em geral são apenas duas ou três ótimas canções e mais dez de baixa qualidade. Por aqui a falta de informação é regra. Irrevogável, pelo que até hoje percebo. De passagem vou contar uma pequena situação que vivi em uma loja de discos anos atrás. Estavam nas prateleiras os gêneros, títulos, artistas e as capas dos cds. Tudo em desordem, outra regra básica. No meio da loja, um setor de música religiosa. Chamou-me a atenção um nome bem à vista: Madredeus. Os nomes dos discos: Existir e O espírito da paz. Assim, a informação e o conhecimento da música passa bem longe da maioria das pessoas que trabalham com vendas de discos. É regra. Irrevogável. De volta á Dulce. Ouvia a tal coletânea quando uma voz portuguesa invadiu o nosso espaço com delicadeza. Perguntei quem era e claro ouvi um não sei clássico de quem realmente não sabe. peguei o disco e lá estava “A canção do mar”. Disco original Lágrimas. Não encontrei, outra obviedade. Certo dia, em meio ao caos de outra dessas lojas, acho que em 1999 ou 2000, encontrei junto a fila do heavy metal O primeiro canto. Dessa vez, fiquei feliz. Enfim, encontrara algo daquela voz que me chamara a atenção e que não havia jeito algum de ter algo completo para escutar. E no player, horas mais tarde, Dulce se revelou por inteira. Que disco! Já sabia de pesquisar que Dulce mexia com vigor o fado, flertava com o pop e o folclore português, quês de influências árabes e ritmos ibéricos. Tudo isso começou a gerar em mim um gosto pelo disco que tal como um livro, passou a ser de cabeceira, daqueles que a gente não abandona nunca. Não a escutei como uma sucessora da extraordinária Amália Rodrigues (ganhei de presente de outro amigo uma gravação dela ao vivo no Olympia de Paris simplesmente fantástico). Ao contrário. Dulce tem personalidade. Tem um trabalho com DNA bem identificado, e aqui já entra o conhecimento de outros discos que escutei da Dulce. O primeiro canto mostra que o fado é o ponto de partida para chegar às profundas águas da música popular de Portugal. Tal qual uma folclorista, recolheu vozes, instrumentos, sons, danças, coros, de regiões e regiões do interior português para realizar um trabalho que também é antropológico e fizeram com que cada descoberta, desde a mais remota fonte de som e tradição até as mais conhecidas, se tornasse parte de um todo uníssono e novo. Atual, vai permeando temas rurais, prantos de uma guerra em uma Angola distante e tão próxima, e outros temas que a aproximam da realidade da vida. Mais que mexer com os rótulos de renovadora ou seja outro rótulo qualquer Dulce e O primeiro canto marcam com fogo, o sentido e o significado da vida em toda a sua plenitude. Disco sensível de uma cantora e compositora ainda mais sensível e é água límpida em nossos dias.



Anúncios

2 Respostas para “Dulce Pontes: O primeiro canto

  1. excelente referencia musical o blog CronosFer. Em breve teremos mais uma obra da Dulce Pontes “”Peregrinação” vai ser um duplo albúm com 26 temas+DVD: já só faltam terminar 4 Músicas e a montagem final do DVD. Tem sido uma verdadeira peregrinação mas nada acontece ao acaso. Deus escreve direito por linhas tortas, não há engano.” (palavras citadas po DP.).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s