Mísia: Garras dos Sentidos

Mísia

Susana Maria Alfonso de Aguiar, Mísia. O fado em movimento. A beleza da luz e das sombras que serpenteia sua voz entre as harmonias das guitarras. A melancolia marca encontro com temas recorrentes como a solidão, amores perdidos, a morte sempre à espreita. Mísia faz de Garras dos Sentidos uma conjunção perfeita dessas teias todas aliando à tradição portuguesa do fado a toques sutis e generosos de jazz e outras influências que colheu ao longo de sua vida – viveu anos na Espanha, por exemplo. As palavras, escolhidas em poetas e escritores novos e consagrados, ganha também uma riqueza única. E elas, as palavras, de José Saramago, Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro ou Agustina Bessa-Luís conferem não apenas atualidade mas uma intérprete madura e sensível ao novo, à tradição. É nessa aliança entre os tempos que os silêncios nascem para descobrirem as sonoridades do violino, do acordeom, de arranjos que não mais se limitem ao corte solitários dos acordes e provoca a emoção das peles sem jamais cair do sentimentalismo fácil. Ao contrário, é íntimo, verdadeiro, profundo e aloja-se em nossa alma com intensidade. Os seus discos são obras inesquecíveis. E está a caminho Para Amália. Mais peles sensíveis à vista.

Anúncios

Madredeus: Ainda

ainda

Linguagens como cinema, palavra e música marcam frequentes encontros. Diferentes entre si, dialogam na diversidade de cada um e o mistério se completa e torna a vida mais rica e densa e interessante. Ainda do Madredeus foi concebido para ser trilha sonora do filme O céu de Lisboa do diretor Win Wenders. Foi mais que isso. Transformou-se em um disco cinematográfico por traduzir em melodias a fotografia da capital portuguesa. Mais além, coube trazer para dentro das harmonias a luz e as sombras do cotidiano da cidade. Suas histórias, seus andares pelas ruas, suas gentes. Faixas hipnóticas pela interpretação afetiva de Teresa Salgueiro, pelo talento de Pedro Ayres Magalhães e Francisco Ribeiro, revelam uma atmosfera apaixonante e aprisiona quem cai nessa teia de sensibilidade. Um disco de beleza singular, cuja leveza é âncora.

Al Di Meola : The Great Passion

al di meola

Rica tapeçaria tecida com o fogo da paixão, The Great Passion é um mosaico de jazz, fusão, clássico, latinidade, tango e Oriente Médio. O violão e a guitarra de Al Di Meola criam a trilha romântica perfeita para a travessia de uma estrada, seja ela qual for e onde for. Apenas feche os olhos e se deixe levar. Possui cores próprias, elementos vivos onde as tardes de domingo, por exemplo, quando são invadidas pela saudade chega o tango “Soledad” e a expulsa ou se este mesmo dia quiser incendiar as horas é só escutar “Libertango”. Piazzolla em melhor estilo impossível. A escolher. “Mistèrio”, que abre o álbum, é bela, delicada, poderosa. Daquelas para ser guardada e retirada somente quando a alma assim o desejar. O disco todo é recheado de técnica, talento, virtuosismo e sensibilidade. Tem tudo. E o essencial: vida para ser vivida.

Mercedes Sosa, León Gieco & Abel Pintos

page

Na ausência das palavras, são relâmpagos agora, música latino-americana para uma sexta-feira ensolarada. Com chuva à vista. Inverno, apenas.

Mercedes Sosa – “Todos los días um poco”

León Gieco Y Abel Pintos – “Cuando llegue el alba” e “Como um tren”

Joni Mitchell, mais que simplesmente folk

joni mitchell

Joni Mitchell é um ícone da folk music. Arrebatadora, traduziu em harmonias e versos mais que sentimentos. Suas músicas desvendam tanto quanto trazem a luz solar aos nossos dias. Recuperando-se de aneurisma sofrido, as notícias confundem. No entanto seu site oficial mantém viva a esperança de recuperação. Há poucos dias perdemos Chris Square, baixista do Yes. Nome referência no baixo em todos os tempos. E o Yes um dos grandes do rock progressivo dos anos setenta esmaece. A canadense deu um novo sentido ao folk, criou álbuns inesquecíveis, avançou, fez mesclas, com o jazz, com o rock, nâo se limitou a criar melodias, ingressou nas artes plásticas. Muitos dos seus discos têm capas com suas obras, encartes com suas obras. Uma pessoa extraordinária. Um criadora que nos faz pensar. Fica Blue, um trabalho exuberante, fonte permanente de ideias e conhecimento, para que possamos desfrutar sua sensibilidade.