Jamishied Sharifi: a música do Oriente Médio, África e Estados Unidos

Jam 1

A música muitas vezes é pele. Penetra aos poucos. Entra na corrente sanguínea. Percorre todo o corpo. Acelera o coração. E alcança a alma. A música é pele e alma. Jamshied Sharifi condensa sua criação entre o Oriente Médio, a África e os Estados Unidos. Filho de iraniano e mãe norte-americana, nascido no Kansas, a música nunca foi mistério em sua vida. Desde cedo estudou-a com dedicação. Tornou-se compositor e instrumentista. Desvenda seus segredos em teias harmônicas. Abre espaços. Une outros espaços. Chama outras vertentes musicais. Cria o tempo todo. A player for the soul of Layla é um alentado álbum de doze canções onde o exótico forma interessante mosaico de sonoridades onde o oriente e o ocidente marcam encontro. Uma trilha sonora que liga o desolador deserto à meia-noite com o céu estrado do início do anoitecer, onde a suavidade chega em profundo silêncio interior para se tornar imensa nas instrumentalizações e vozes que crescem à medida em que o tempo passa a correr do lado de fora do espírito de quem está escutando. Um cenário magnífico, de sonho, de imaginação, de criatividade. E ainda conta com a participação de Paula Cole, Hassan Hakmoun, mamak Khadem, Marie Afonso, Miyuki Sakamoto, Sk li Sverrisson e do argentino Pedro Aznar (na faixa título). Um disco magnífico.