Joni Mitchell, mais que simplesmente folk

joni mitchell

Joni Mitchell é um ícone da folk music. Arrebatadora, traduziu em harmonias e versos mais que sentimentos. Suas músicas desvendam tanto quanto trazem a luz solar aos nossos dias. Recuperando-se de aneurisma sofrido, as notícias confundem. No entanto seu site oficial mantém viva a esperança de recuperação. Há poucos dias perdemos Chris Square, baixista do Yes. Nome referência no baixo em todos os tempos. E o Yes um dos grandes do rock progressivo dos anos setenta esmaece. A canadense deu um novo sentido ao folk, criou álbuns inesquecíveis, avançou, fez mesclas, com o jazz, com o rock, nâo se limitou a criar melodias, ingressou nas artes plásticas. Muitos dos seus discos têm capas com suas obras, encartes com suas obras. Uma pessoa extraordinária. Um criadora que nos faz pensar. Fica Blue, um trabalho exuberante, fonte permanente de ideias e conhecimento, para que possamos desfrutar sua sensibilidade.

Anúncios

Joni Mitchell: Love has many faces

Joni Love

Joni Mitchell é muito mais que um nome na folk music. Desde que lançou seu primeiro disco no emblemático 1968, Song to a seagull, com produção de David Crosby, e desde lá já tinha a participação de Stephen Stills, por exemplo, ela traçou um caminho significativo em sua carreira. Não se limitou a fazer apenas canções apaixonadas e suaves ao violão. Seu trabalho como letrista e artista tem extrema relevância nesse seu caminhar. E também, revela sempre a inquietude dos criadores. Em 1971 veio Blue, maiúsculo e denso. Para em 1974, pisar firme no jazz/pop de Court and Spark sem se afastar da matriz folk, sua essência. E sempre ao longo dos anos vais construindo uma solidez musical, que mesmo quando tropeça em algumas canções, se mantém coerente com seus princípios e relevando sua maturidade. A caixa Love has many faces: Quartet, A ballet, Wainting to be danced avança sobre trabalhos conhecidos e nem tão conhecidos. Muitos com uma “nova roupagem” e mostra as faces verdadeiras de Joni. É uma interessante mostra de como a sua música foi se formando e sua perspectiva seguindo direção segura em seu projeto de vida seja musical ou mesmo pessoal. Talvez não seja “um resumo” que seus fãs gostariam de ter em mãos. Porém, sem dúvida, é uma coletânea muito rica de uma cantora e compositora que tem a seu lado músicos como David Crosby, James Taylor e Graham Nash, para ficar em apenas três dos ícones do acústico. Belo disco, envolvente e profundo.

Joni

www.youtube.com/watch?v=50zkUclo-cw

www.youtube.com/watch?v=E2nxCSTAq9c

www.youtube.com/watch?v=cRjQCvfcXn0

www.youtube.com/watch?v=LoKBGotuNhc

Fotos: capturadas no site http://www.allmusic.com