Fotografia: O tempo dentro dos olhos (The time inside the eyes)

IMG_2522 (2)

IMG_2533 (2)

IMG_2568 (2)

IMG_2577 (2)

Fotos: Chronosfer: Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. Os olhos guardam memórias. As que se perdem pela ação do tempo, pela falta do nosso próprio olhar. Eles são infinitos. Em qualquer tempo. Fazem da vida o sentido e o significado.

Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brazil. The eyes hold memories. Those that are lost by the action of time, by the lack of our own look. They are infinite. At any time. They make life meaning and meaning.

11 Respostas para “Fotografia: O tempo dentro dos olhos (The time inside the eyes)

  1. REALLY cool pics, as always!!! I’m crazy about the sailboat going down the tracks. That’s brilliant! 🤗 And what a great song! I’ve never heard that one before. It was fun and surreal because I was actually writing You back on my site while listening to it. Life is such a circle. Have a great day! Obrigado e Felicidades!!! 🙂

  2. Quisera ter um olhar assim, nítido e certeiro, para captar, nos objetos naturais ou não, tão claros sinais do tempo – marcas da physis grega, ou da natura latina, como queiram gregos e latinos -impressas nos objetos e captadas pela câmara. As fotos – especialmente as duas primeiras – fazem-me lembrar Imagem-tempo, um texto de Guilles Deleuze – espécie de introdução ao cinema – que estudei quando pesquisava sobre educação do olhar e tentava, inutilmente, educar o meu. Amo fotografia, mas nunca consegui ser um fotógrafo razoável, muito menos colher essas preciosidades que vejo aqui. Parabéns pelo lindo trabalho!

    • oi, salo. bom, muito obrigado pela palavra, fico feliz. deixa te dizer que a fotografia que olhas aqui é de muita simplicidade, do olhar inesperado e distraído que busca quase sem querer o que a vida vai vivendo. por óbvio que acompanho por exemplo os movimentos das estações através das folhas dos galhos dos plátanos, suas cores que vão se modificando, ou então, as paredes, os muros, as janelas, as portas dos prédios, elas nos revelam muito do que somos, do que fomos do que poderemos ser. as duas fotos mencionadas por você, a primeira, o fator humano sobre as pedras, há um simbolismo imenso em perceber que podemos ser mais que pedras, e a segunda, o caminho para o desconhecido ali na curva. leituras minhas que poder ter outras mais. o olhar registra memórias. é isso que me atrai na fotografia. e através delas construo histórias, quem sabe a minha. o meu agradecimento renovado e o abraço fraterno e amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s