Fotografia: Tempo, velho amigo (Time, old friend)

IMG_2582 (2)

IMG_2593 (2)

IMG_3088 (2)

IMG_3061 (2)

Fotos: Chronosfer. O tempo é sempre presente. Suas marcas, sua presença, suas mensagens, suas heranças são, quem sabe, razão para que façamos o nosso tempo. Ele, é um velho amigo, que passa e segue seus destino.

Time is always present. Your marks, your presence, your messages, your legacies are, perhaps, reason for us to make our time. He is an old friend, who passes and follows his destiny.

Anúncios

Fotografia: Reflexão (Reflection)

dsc02507

Foto: Chronosfer. Nos dias de hoje, para quem sabe, o futuro ser uma realidade.

In these days, for who knows, the future be a reality.

Ficção: Pampa

Fotosmil 12 (2)

O olhar dobra o horizonte. No silêncio verde da pampa, os cascos dos potros latejam. A lida noite adentro descansa na roda de fogo das horas. Os homens há muito olham o destino como lâmina. O brilho do sol amanhece antes de a galáxia desaparecer do sonho.

The look doubles the horizon. In the green silence of the pampa, the foal’s hooves throb. The night read inside rests on the evening fire wheel. Men have long looked upon fate as a blade. The sun’s brightness dawns before the galaxy disappears from the dream.

Fotografia: Flores, plátanos e grafismos (Flowers, tree leaves and graphics)

675

679

33345 (2)

45186 (2)

Gramado. Brasil. Foto: Fernando Rozano

Fotos: Chronosfer.

A natureza é sempre a resposta que buscamos. Em suas cores, seus grafismos, às vezes galhos despidos, secos, mas semeando o futuro. E acolhem a noite, o envelhecimento das horas e suas águas de despedida para o amanhecer. A natureza é sempre resposta. Nem sempre entendemos.

Nature is always the answer we seek. In its colors, its graphics, sometimes naked branches, dry, but sowing the future. And they welcome the night, the aging of the hours and their farewell waters to the dawn. Nature is always an answer. We do not always understand.

Poesia: Breve, muito breve (Poetry: Brief, very brief)

No silêncio

A sombra é fantasma no papel amarelado

Toco suas rugas com a ponta dos dedos

Pele, sal e terra

Sou labirinto dentro da palavra.

 

In the silence

Shadow is ghost on yellowed paper

I touch your wrinkles with your fingertips

Skin, salt and earth

I am a maze within the word