Fotografia: Ensaios…

Fotos experimentais. Sombras, desfoques (3), a luz chegando aos poucos (2), reflexos, saturação demasiada da lua (1), teias coloridas (4), a vida como ela pode ser vista para além do que olhamos. E que criamos em nosso imaginário.

Poa

Poa 2

Europa IF 03

FEIRA L 20

Fotos: Chronosfer.

 

Anúncios

Sheryl Crow: Be myself

Sheryl-Crow-Be-Myself-2017-2480x2480

Por vezes, uma volta às raízes tem um significado muito forte, denso. Sheryl Crow faz de Be myself  esse encontro sem deixar de olhar à frente. Se há em suas faixas canções que ainda flutuam no passado, cada uma delas vai em direção às areias do novo. Assim, o disco torna-se sofisticado e provocativo em cada acorde. Instrumentos combinam como o piano e as guitarras/percussão/bateria. Belíssimo.

 

Fotografia: E agora? (And now?)

Jardim 6

— Ei, não pode ficar na  árvore. (Hey,you cant´n stay in the tree.)

Europa IF

  • E agora, onde deixei a minha bike?
  • (And now, where did I leave my bike?)

 

Fotosmil 21

  • Perdi de novo!
  • (Lost again.)

Fotos: Chronosfer.

America: Back pages

America-Back-Pages

O America é um grupo estigmatizado por seguir caminhos semelhantes aos Eagles e Crosby, Stills, Nash & Young. Caminhos irregulares mas sempre no folk/rock/pop que caracterizou canções de sucesso como “Ventura highway”, ” I need you”, “Sandman” e “A horse with no name”. Não é justo deixá-los em uma sua escala, embora não tenham sido revolucionários. Sempre fizeram sua música com suavidade, afeto e harmonias elegantes. Back Pages do já distante 2011 traz canções de Paul Simon, Bob Dylan, Joni Mitchell e Brian Wison entre outros no álbuns de covers com toda a personalidade do America. Dewey Bunnel e Gerry Beckley trabalharam com sensibilidade e as canções flutuam em nosso imaginário. Um bom disco.

 

Fotografia: Um tempo para viver a vida

O meu abraço a todos, pela vida, pela paz, pela compreensão, por um horizonte sem fronteiras e todos convivendo em harmonia, cada um com suas convicções.

Montevideu 30

Leia um livro. Receba novos olhares e leituras.

Montevideu 28

Escreva no espaço vazio. Poema, texto, conto. Não importa o que, apenas escreva o sente e deseja.

Montevideu 27

Depois, sente com a gente, tome um café. Estamos todos juntos. Em paz.

 

Fotos: Chronosfer. Pelas paredes de Montevidéu.

John Mayer: The search for everything

Jmayer

John Mayer é daqueles músicos que sempre se reinventam. Com talento e qualidade. Ainda que mantenha bem acesa a luz de suas raízes (blues), trilhou o jazz, o pop, o folk, o country com a naturalidade de quem semeia novos campos. Cometeu discos de safra superior: Continuum, Born and raised e Paradise Valley são exemplos de sua fartura criativa. Chega agora com The search for everything com uma fórmula mais R&B, soul e mostando um amadurecimento musical, harmônico e vocal. Um disco que alterna tranquilidade, interiorização e dançante. Um disco feito para ser vivido.