REM: Automatic for the people

rem

Para a promissora década de oitenta, o REM teve um significado importante. Ao ingressar no cenário alternativo do rock, Michael Stipe, Peter Buck,  Mike Mills e Bill Berry foram construindo os alicerces que fixaram a banda no mundo da música. Gravações independentes até 1991, consagraram o seu jeito de compor e tocar. Depois, em grande gravadora, embora tenham se deixado levar mais para o rock cristalino, não perderam de vista a essência e chegaram Out of time e Automatic for the people com o sucesso se multiplicando. Os álbuns que vieram após, ainda que aqui e ali tenham lá suas diferenças e alguma perda da estética original, consolidaram o REM. Em especial Around the sun e New Adventures in Hi-Fi, por exemplo. Em 2011 encerra como grupo, deixando um legado denso e muito rico para o rock alternativo, principalmente.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s