Eddie Vedder: Into The Wild

Into_the_Wild_album_cover

Trilhas sonoras são indispensáveis. Nem todas se estruturam no roteiro ou na história original e são apenas canções que complementam o filme, ou identificam personagens. Into The Wind com a assinatura do Pearl Jam Eddie Vedder está na contramão da afirmativa acima: integra Na natureza selvagem, título recebido no Brasil para a obra do diretor Sean Penn. O ponto de partida é o relato instigante e intrigante, no sentido de tentar chegar a entender as razões que levaram Chris McCandless a traçar e definir o seu destino. O jornalista, escritor e também alpinista Jon Krakauer ingressa nesse universo do jovem bem sucedido norte-americano que larga tudo em busca de, quem sabe, um sentido mais concreto em sua vida. Krakauer já havia participado de expedição ao Everest em 1996, que resultou na morte de nove alpinistas quando da descida do monte, e fez o dramático relato em um livro fulminante – No ar rarefeito – e sua narrativa sempre hospeda questionamentos para dentro do ser humano. Para escalar montanhas, vencer altitudes quase imaculadas, a vida e o sonho duelam por alguns segundos ao atingir o topo dos 8848 metros da mais alta montanha do mundo. E tem que voltar quem sobe. E é em torno dessas questões para além da técnica do alpinismo e da preparação física e emocional, que o jornalista se debruça com afinco. O mesmo se sucede pelos caminhos do jovem Chris. Ao abandonar uma vida em tese mais fácil de ser vivida e jogá-la na estrada até chegar ao Alasca, todas as questões que o levam a tomar decisão extrema atingem à tona. E ao encontrar a luz do dia, estão presentes elementos comuns a todos nós: relacionamento familiar, afetivo, erros e acertos pessoais, a natureza como tal e o meio social como um todo entram em xeque e as interrogações ganham proporções gigantescas. Krakauer refaz os seus passos, cada um deles até onde é possível, e até onde é possível compreender e entender esses passos decididos a mudar o rumo de uma história. Os questionamentos de McCandless são os nossos questionamentos. São atuais. São tão nossos quanto os do autor do livros, da personagem real que viveu até o desfecho que traduz Na natureza selvagem, muito mais que uma reportagem investigativa. Uma escalada e descida por dentro de nós mesmos. Uma profunda e sensível reflexão sobre a vida e a vida que queremos viver. Seja em nível de sonhos seja em nível coletivo. Nesse sentido, a trilha composta por Vedder se revela integrante e hóspede da história. Suas harmonias pertencem a história tanto quanto nós que a acompanhamos ou pela palavra ou pela imagem. Uma trilha que se completa e ao mesmo tempo tem vida própria. Um trio – filme, livro, trilha – envolventes e de grande significado.  Abaixo, a capa do livro, algumas canções e o disco na íntegra.

Na natureza selvagem

Anúncios

6 Respostas para “Eddie Vedder: Into The Wild

    • É verdade. E o Vedder estava perfeito quando criou Into the Wind. Há uma trilha que dias desses farei um post que é do filme Alta Fidelidade, também maravilhosa, mesmo que completamente diferente da trilha do Eddie. Obrigado, e meu abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s