Buddy Guy & Junior Wells Play The Blues

buddy & junior

Hoje, o calendário marca o Dia Mundial do Meio Ambiente. Não apenas dia para uma reflexão maior e mais profunda e mais intensa sobre o meio ambiente em que vivemos, mas, e sobretudo, sobre o ambiente que vivemos ou que fazemos em nossas vidas. Hoje, repletas de intolerância, de radicalismos, de ódios, de massacres, de violências de todas as espécies, de falta de um olhar mais sensível à vida e ao presente que será o amanhã daqui a pouco. E não há calendário que possa determinar um único dia se não que sejam todos os dias motivo de aprofundamento em nossas relações com meio ambiente e com todas as gentes do mundo inteiro em busca incessante pela paz, pela harmonia, pela tolerância, pelo respeito às diferenças, pela própria humanidade. E o blues reflete um estado de espírito. Reflete a alma. Reflete tal como o espelho o nosso lado inverso. Para dentro. Poderia ser o jazz, o rock, o folk, qualquer outro gênero. Todos refletem a alma. Todos são almas. A escolha de Buddy Guy e Junior Wells nasceu ao natural. Como o espelho a refletir a sonoridade para dentro, e ao contrário de ser o lado inverso, tece o lado mais denso das peles dos artistas e de quem os escuta. Play The Blues reza a lenda começou em 1970 bastante complicado, com confusões, participação de Eric Clapton, teria brigado com os produtores, abriram shows do Rolling Stones, não completaram o álbum, atravessaram dois anos para concluí-lo e então já com a presença de J. Geils Band. Na verdade, em meio a tanta confusão, Clapton concluiu tão somente oito faixas, que em 72 J. Geils finalizou o que faltava. E o resultado? Um disco poderoso, uma lição de como se toca blues e as razões dos porquês influenciaram instrumentistas como Jimmy Page e Jack White, por exemplo. Apenas  um pequeno revival: foi assistindo e escutando Buddy Guy que Eric formou o power trio Cream, com Jack Bruce e Ginger Baker. O disco é uma celebração entre a guitarra de Guy e a harmônica de Wells. Incendeia a quem penetra fundo nesse universo sonoro. É um trabalho orgânico, para dentro, que explode, no seu melhor sentido, para fora. De alguma forma, são almas expostas ao público. Revelam suas fragilidades mas as superam com garra e coração. Com talento e sentimento. Com vontade. Criam um ambiente em que a sensibilidade aflora e transcende. Um disco para todo o sempre. E para nossa reflexão e ação por uma vida mais humana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s