Agri, Zárate & Falasca Trío: tango de câmara

Agri

Pode parecer exagero. Afirmar de que o trio argentino faz tango com influência ou mesmo com todas as harmonias de câmara pode ser equívoco. Ao escutar o disco lançado no já quase distante 2002, Pablo Agri, violino, Cristian Zárate, piano e Daniel Falasca no “contrabajo” não deixam dúvida alguma. Donos de uma proposta atípica para os três instrumentos, eles trabalham um repertório variado que passa por algumas gerações do tango com extrema naturalidade. Composições de Astor Piazzolla, Enrique Cadicamo, Aníbal Troilo, Osvaldo Berlingieri, Antônio Agri, pai de Pablo e também violinista, ganham arranjos inspirados e soam sensíveis em suas tessituras que passam longe dos dramas que muitas das letras das composições possuem. O disco é instrumental, talvez resida neste aspecto o diferencial. O tango tem sido visitado por todas as gerações e não por acaso um fenômeno em todo o mundo também por gerações e gerações. Não por acaso também frequenta trilhas de filmes norte-americanos e europeus. As linhas mestras do trabalho do trio foge do convencional, e convém lembrar que Prepárense é um álbum em que o bandoneón, mola mestra do tango, está ausente em todas as canções. Essencial para o andamento do tango, Agri, Zárate & Falasca criaram ou reescreveram cada composição como se cada uma fosse nova. O efeito é um disco incomum para o gênero. E mais uma vez convém lembrar, o tango tem sido alvo de várias mesclas e leituras como o eletrônico do Gotan Project, o quê de flamenco de Diego Cigala, o rock de Andrés Calamaro – e aqui vale uma observação: Tinta Roja é um trabalho de muito fôlego e densidade – o folk de León Gieco, não com frequência, é verdade, e outras mais aproximações, umas com qualidade outras passando muito distante dela.
Prepárense é para ser escutado com calma, quem sabe com um tinto seco ou um café bem quente em dia de inverno daqueles em que nos recolhemos em nós mesmos e nos deixamos levar. Não sei se ainda pode-se encontrar em alguma “disqueria” de Buenos Aires, mas garimpá-las será sempre um prazer e se encontrar, um presente ganho. Vale a procura.

http://www.youtube.com/watch?v=r2FOamywF4w
http://www.dailymotion.com/…/x2fm8_pablo-agri-falasca-za..

Reprodução capturada na Internet. Arte da capa: M. Florência Ruiz Moreno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s